Como reconhecer que uma edificação está em risco?

Como reconhecer que uma edificação está em risco?

Os primeiros condomínios surgiram há aproximadamente duzentos anos. Porém, a popularização deste modo de moradia ocorreu nas últimas cinco décadas. Esse mesmo período – cinquenta anos -, é o de vida útil prevista para uma edificação. Logo, cada vez teremos mais condomínios atingindo essa idade.

É cada vez mais comum ver condomínios chegando ao colapso total ou parcial em períodos muito inferiores ao previsto em normas. Esse envelhecimento precoce é desencadeado pela baixa qualidade dos materiais de construção empregados, por problemas de projeto e execução e falta de manutenção.

Eventos recentes vêm potencializando essa preocupação entre síndicos e condôminos. Casos como o do Edifício Andrea, em Fortaleza (CE), que desabou por uma falha de tratamento de pilar, da sacada do edifício no Campeche, em Florianópolis (SC), ou o mais recente da piscina do Edifício Parador, em Vila Velha (ES), alertam para a necessidade de inspeção constante, independente da idade da edificação.

A presença de manifestações patológicas como fissuras, manchas, umidade e desplacamento de reboco ou de cobrimento de concreto, entre tantas outras aparentemente sem importância podem ser sinais de riscos graves e devem ser continuamente controladas e resolvidas. É preciso analisar causa, consequência e recorrência e indicar uma medida definitiva, evitando medidas paliativas que só resultarão em retrabalho ao síndico e riscos á edificação e aos moradores.

Cabe lembrar que não estamos falando de estética, mas sim de segurança. Alguém precisa responder tecnicamente em caso de incidente. Na falta de providências, o síndico acaba sendo muitas vezes responsabilizado.

Por exemplo, em um caso de desplacamento de concreto em um pilar com armadura aparente, de nada adianta rebocar e pintar. É preciso escorar estruturas que estejam vinculadas a esse pilar, tratar a armadura em processo de descamação, refazer o cobrimento e, aí sim, se preocupar com a estética. Tudo isso, claro, com orientação e responsabilidade técnica de um profissional capacitado de Engenharia Civil ou Arquitetura.

E é por isso que a inspeção deve começar, com atenção e responsabilidade, já na entrega da edificação. A vistoria para a constituição do condomínio é o ponto de largada para que se verifique qualquer irregularidade que o edifício possa vir a ter. E o que elas podem causar.

Mário Filippe de Souza, graduado em Engenharia Civil pela Universidade Federal de Santa Catarina. Diretor Executivo da Econd Engenharia para Condomínios.

  • Gostou do conteúdo? Indique a um amigo!
SELECT i.*, CASE WHEN i.modified = 0 THEN i.created ELSE i.modified END as lastChanged, c.name AS categoryname,c.id AS categoryid, c.alias AS categoryalias, c.params AS categoryparams, u.userName AS nomeColunista , u.image AS imgColunista , u.userID AS idColunista FROM #__k2_items as i RIGHT JOIN #__k2_categories c ON c.id = i.catid LEFT JOIN #__k2_users u ON u.userID = i.created_by WHERE i.published = 1 AND i.access IN(1,1,5) AND i.trash = 0 AND c.published = 1 AND c.trash = 0 AND ( i.publish_up = '0000-00-00 00:00:00' OR i.publish_up <= '2021-06-21 12:11:46' ) AND ( i.publish_down = '0000-00-00 00:00:00' OR i.publish_down >= '2021-06-21 12:11:46' ) AND i.catid=17 AND i.catid IN(17) OR i.id IN (SELECT itemID FROM #__k2_additional_categories WHERE catid IN(17 ) )  ORDER BY i.id DESC LIMIT 0 , 1
Acesse sua Administradora