O que o síndico deve saber sobre garantias?

O que o síndico deve saber sobre garantias?

Construir é uma atividade que demanda muito conhecimento e responsabilidade. É pensando nisso que, há mais de 100 anos, existe legislação que trata sobre as garantias em edificações

Em 1916, o prazo normalmente era de vinte anos, algo que a reformulação do Código Civil em 2002 reduziu para cinco. Mas, ao contrário do que muitas vezes é dito – inclusive síndicos e construtoras-, o tema não é simples quanto parece e demanda conhecimento técnico.

Já na sua constituição, o condomínio passa por uma vistoria nas áreas comuns, onde o síndico, recém-eleito, uma comissão de condôminos e representantes da construtora formalizam a entrega dessas áreas – corredores, fachadas, muros, telhados, equipamentos, áreas de lazer, portaria etc. Essa vistoria e a expedição do habite-se vão determinar o período inicial das garantias.

Desde esse momento é importante que o síndico tenha o acompanhamento de profissional de engenharia de confiança para que possa fazer observações pertinentes e, a partir dali, auxiliar o condomínio para que ele se mantenha resguardado.

Existem dois cenários possíveis para que o síndico acione a construtora: o de vícios ocultos – problemas que não são aparentes e só são descobertos com o passar dos anos - e de vícios aparentes. No caso dos ocultos, a garantia passa a contar a partir do momento que o problema na estrutura ou no imóvel passa a ser perceptível. O prazo para reclamações legais é de vinte anos.

Todos os itens do condomínio têm alguma garantia. Se, legalmente, o prazo reconhecido é de cinco anos, problemas de acabamentos e falhas em equipamentos apresentam prazos menores, enquanto estruturais têm uma garantia maior pré-estabelecida.

O Código Civil, o Código de Defesa do Consumidor e decisões judiciais que tenham tratado do assunto trazem mais informações sobre como e quando essa reclamação deve ser feita. Já NBR 15.575, de 2013 e revisada em 2021, trata sobre os prazos de garantias recomendados para cada caso.

Alguns documentos, como o Manual de Operação, Uso e Manutenção das Edificações e a própria NBR, também trazem algumas informações fundamentais para que se alcance a vida útil planejada, reduzindo o risco de perda de garantias.

A contratação de Laudo de Inspeção Predial na constituição e, após isso, periodicamente a cada dois anos, irá trazer dados técnicos e evitar argumentações e possíveis tentativas da construtora de não se responsabilizar pelos problemas encontrados que sejam, de fato, de sua responsabilidade.

A intenção, nesse caso, não é a de buscar culpados, mas sim conscientizar cada parte de quais seus direitos e deveres, buscando, sempre, a conciliação e a boa gestão condominial.

Mário Filippe de Souza, graduado em Engenharia Civil pela Universidade Federal de Santa Catarina. Diretor Executivo da Econd Engenharia para
Condomínios.

 

  • Gostou do conteúdo? Indique a um amigo!
SELECT i.*, CASE WHEN i.modified = 0 THEN i.created ELSE i.modified END as lastChanged, c.name AS categoryname,c.id AS categoryid, c.alias AS categoryalias, c.params AS categoryparams, u.userName AS nomeColunista , u.image AS imgColunista , u.userID AS idColunista FROM #__k2_items as i RIGHT JOIN #__k2_categories c ON c.id = i.catid LEFT JOIN #__k2_users u ON u.userID = i.created_by WHERE i.published = 1 AND i.access IN(1,1,5) AND i.trash = 0 AND c.published = 1 AND c.trash = 0 AND ( i.publish_up = '0000-00-00 00:00:00' OR i.publish_up <= '2021-11-28 12:21:59' ) AND ( i.publish_down = '0000-00-00 00:00:00' OR i.publish_down >= '2021-11-28 12:21:59' ) AND i.catid=17 AND i.catid IN(17) OR i.id IN (SELECT itemID FROM #__k2_additional_categories WHERE catid IN(17 ) )  ORDER BY i.id DESC LIMIT 0 , 1
Acesse sua Administradora