Respeito é bom e todo mundo gosta, até mesmo o inquilino

Respeito é bom e todo mundo gosta, até mesmo o inquilino

Premissa básica de qualquer relação é o respeito, é comum nos condomínios o tratamento preconceituoso e desrespeitoso de alguns condôminos e até mesmo pela gestão condominial frente a um morador que é inquilino de alguma unidade, classificando-os, muitas vezes, de “categoria menor”.

Prática lícita e cada vez mais comum no Brasil são pessoas que adquirem imóveis para investimento e consequentemente tais imóveis, possivelmente, tornar-se-ão objeto de contrato de locação.

O inquilino possui obrigações perante o condomínio no sentido de seguir as regras estabelecidas para a utilização deste, mas, jamais poderão sofrer impedimentos por única e exclusiva condição da sua situação de locatário.

Porém, deparamo-nos com a questão de direito onde resta configurada que o condomínio possui relação jurídica exclusivamente com o proprietário da unidade e este por sua vez com o inquilino desta. Acreditamos, que por este motivo, comumente, constatamos situações vexatórias no tratamento direcionado aos inquilinos no convívio condominial.

O inquilino é considerado possuidor de uma unidade por força do contrato de locação firmado entre este e o proprietário. Por força do que dispõe a lei o inquilino não é condômino, senão vejamos: Artigo 1.334§ 2º: “São equiparados aos proprietários, para os fins deste artigo, salvo disposição em contrário, os promitentes compradores e os cessionários de direitos relativos às unidades autônomas. ”

Diante da situação imposta pela configuração da legislação, caberá ao gestor condominial trazer tratamento igualitário e equânime a todos os moradores, independente da sua qualificação: proprietário/condômino morador, proprietário/condômino não morador, morador inquilino e outros.

Sem entrarmos no tema da validação das normas condominiais, tais quais convenção e regimento interno, cada qual com suas particularidades para se fazerem vigorar perante os moradores do condomínio, vale-nos dizer que o direito de usufruir deve ser igual para todos, em atenção às normas de convivência reguladoras, independente da sua qualificação perante o condomínio, como bem já mencionamos, bastando ser integrante daquela coletividade, ou seja, morador dela.

Sendo assim, concluímos que perante o condomínio o inquilino tem obrigação de seguir as regras por este estabelecidas, já o condomínio – por sua vez – deverá tratar de forma equivalente todos os seus componentes. Ficando a encargo do proprietário sua responsabilização subsidiada a um terceiro (inquilino) em seu nome perante o condomínio – assunto que poderemos trazer em outra oportunidade.

Fernanda Machado Pfeilsticker Silva é Advogada, Pós-graduada em Direito Imobiliário, Negocial e Civil e Pós-graduada em Direito Processual Civil. Atua na área do Direito Imobiliário - ramo condominial.

  • Gostou do conteúdo? Indique a um amigo!
SELECT i.*, CASE WHEN i.modified = 0 THEN i.created ELSE i.modified END as lastChanged, c.name AS categoryname,c.id AS categoryid, c.alias AS categoryalias, c.params AS categoryparams, u.userName AS nomeColunista , u.image AS imgColunista , u.userID AS idColunista FROM #__k2_items as i RIGHT JOIN #__k2_categories c ON c.id = i.catid LEFT JOIN #__k2_users u ON u.userID = i.created_by WHERE i.published = 1 AND i.access IN(1,1,5) AND i.trash = 0 AND c.published = 1 AND c.trash = 0 AND ( i.publish_up = '0000-00-00 00:00:00' OR i.publish_up <= '2021-07-31 01:47:59' ) AND ( i.publish_down = '0000-00-00 00:00:00' OR i.publish_down >= '2021-07-31 01:47:59' ) AND i.catid=17 AND i.catid IN(17) OR i.id IN (SELECT itemID FROM #__k2_additional_categories WHERE catid IN(17 ) )  ORDER BY i.id DESC LIMIT 0 , 1
Acesse sua Administradora