Prevenção mantém piscinas seguras e limpas

Em condomínios com uso intenso da piscina são recomendáveis quatro limpezas semanais durante o verão Em condomínios com uso intenso da piscina são recomendáveis quatro limpezas semanais durante o verão

Excelentes opções de lazer, as piscinas dos condomínios precisam de cuidados e atenção redobrada no verão, ainda mais em tempos de pandemia. Com o aumento do fluxo de pessoas nas áreas comuns, também é fundamental tomar as providências necessárias para que a água esteja sempre limpa e pronta para o uso. 

Com relação à segurança, o responsável pelo condomínio deve adotar alguns procedimentos. De acordo com a advogada Marina Zipser Granzotto, atitudes preventivas são a melhor alternativa para garantir a tranquilidade de todos. “Regras claras, informações em local visível, fiscalização por parte do síndico e funcionários, além do bom senso e responsabilidade dos adultos para o cuidado com as crianças formam a combinação certa para evitar dissabores”, explica.

Segundo ela, cada condomínio pode dispor livremente sobre as regras de uso das áreas comuns, dentro dos limites legais. As regras devem ser informadas a todos os moradores e poderão ser alteradas ao longo do período de verão, de acordo com leis e portarias dos governos estaduais ou municipais.

Vigilância Sanitária

Além disso, também é importante estar atento às condições sanitárias das piscinas. Antes de qualquer coisa, todo local que possui piscina de uso coletivo deve seguir as normas da Diretoria da Vigilância Sanitária que podem ser encontradas na Resolução n. 0003, de 24/05/2016 e possuir profissional da área química como responsável técnico.

Nos condomínios, o tratamento da piscina não é função apenas para o zelador ou para outros funcionários do condomínio. Estes podem até executar algumas tarefas que mantenham a água limpa e bem conservada, mas a responsabilidade da função é de um profissional químico.

Definido quem irá executar o tratamento da piscina cabe ao responsável determinar qual será a frequência semanal de execução dos serviços. Segundo Vinícius Teixeira dos Reis, diretor de empresa do ramo de piscinas, em geral, em condomínios de pequeno e médio porte, três limpezas semanais são o suficiente. Já nos condomínios maiores, ou mesmo em condomínios de médio porte com intenso uso das piscinas, são necessárias, no mínimo, quatro limpezas semanais durante o verão.

Reparos sem esvaziar a piscina 

O uso intenso das piscinas dificulta a realização de consertos necessários para a segurança dos moradores. Mas, com técnicas específicas realizadas por mergulhadores, os reparos podem ser feitos sem interditar o local e sem esvaziar a piscina, evitando o desperdício de água.

Denominada manutenção subaquática, o serviço permite recuperar diversas estruturas debaixo d’água, desde a troca de um simples ralo de fundo ou de qualquer peça de azulejo, até a colocação de pastilhas que garantam a integridade física da piscina e dos usuários. “Acidentes decorrentes da falta de azulejos, de peças quebradas ou trincadas são perigosos, pois podem provocar cortes incisivos, como se fossem ocasionados por um bisturi ou navalha”, compara Duarte Junior, proprietário de empresa especializada em serviços subaquáticos.

O especialista explica que os serviços são realizados por mergulhadores profissionais treinados que utilizam equipamentos adequados para a prática. Além disso, as substâncias utilizadas não são tóxicas e não contaminam a água.

Cuidados extras com a pandemia

Se no seu condomínio a piscina for liberada para uso, devem ser adotadas medidas de prevenção à Covid-19, como:

● Limite de pessoas no local

● Distanciamento social de pelo menos 1,5 metro

● Assepsia de cadeiras, mesas, corrimão e acessórios que possam ser compartilhados

● Limpeza e assepsia da área envolta à piscina com uso de produtos clorados ou à base de amônia quaternária, produto que já vem sendo utilizado para assepsia das ruas e espaços públicos

● Uso das duchas, se possível, utilizando sabonete individual para melhor higienização

● Uso de lava-pés, que também deve receber tratamento químico

●Essas são medidas preventivas, que reduzem o potencial de contaminação, porém, não o elimina, principalmente em espaços com decks e vestiários. Fonte: Fernanda Cristina Brietzig, engenheira química, mestre em Ciência e Engenharia de Materiais.


Serviços

Encontre e cote serviços de Análise de água e ar

 

  • Gostou do conteúdo? Indique a um amigo!
Enquete

Para conter a pandemia do Covid-19 quais medidas estão sendo mais difíceis de serem adotadas no condomínio?

Controlar obras em unidades - 12.9%
Utilização de máscara por moradores - 26.4%
Informar condômino infectado - 7.9%
Aplicar as normas de silêncio - 15%
Controlar o uso de áreas comuns - 14.3%
Realização de assembleias - 20.7%
Locação de temporada - 2.9%
SELECT i.*, CASE WHEN i.modified = 0 THEN i.created ELSE i.modified END as lastChanged, c.name AS categoryname,c.id AS categoryid, c.alias AS categoryalias, c.params AS categoryparams, u.userName AS nomeColunista , u.image AS imgColunista , u.userID AS idColunista FROM #__k2_items as i RIGHT JOIN #__k2_categories c ON c.id = i.catid LEFT JOIN #__k2_users u ON u.userID = i.created_by WHERE i.published = 1 AND i.access IN(1,1,5) AND i.trash = 0 AND c.published = 1 AND c.trash = 0 AND ( i.publish_up = '0000-00-00 00:00:00' OR i.publish_up <= '2020-11-30 13:01:42' ) AND ( i.publish_down = '0000-00-00 00:00:00' OR i.publish_down >= '2020-11-30 13:01:42' ) AND i.catid=17 AND i.catid IN(17) OR i.id IN (SELECT itemID FROM #__k2_additional_categories WHERE catid IN(17 ) )  ORDER BY i.id DESC LIMIT 0 , 1
Acesse sua Administradora