Governo de SC decreta situação de emergência por causa do coronavírus

Governo de SC decreta situação de emergência por causa do coronavírus

O governo de Santa Catarina decretou nesta terça-feira (17) situação de emergência por causa da pandemia do coronavírus. A medida foi anunciada após a confirmação de que há casos de transmissão comunitária da doença no Sul do estado. O decreto proíbe por 30 dias a realização de eventos no estado, independentemente da quantidade de pessoas, e os serviços de transporte coletivo municipal, intermunicipal e interestadual durante sete dias, em regime de quarentena.

A transmissão comunitária ocorre quando há contágio do vírus entre a população, sem ser possível identificar a origem. O último boletim do Ministério da Saúde aponta que Santa Catarina tem sete casos confirmados de Covid-19, mas o secretário de estado da Saúde, Helton Zeferino, disse durante a coletiva que esse número é maior. Entretanto, evitou falar em quantidade e declarou que é preciso aguardar a próxima atualização do governo federal. O estado monitora 220 casos suspeitos.

Os municípios com diagnósticos confirmados são: Florianópolis (3 casos), Rancho Queimado (2 casos); Joinville (1 caso) e Braço do Norte, cujo único paciente está internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de um hospital em Içara. Os demais estão em isolamento domiciliar. O tratamento é feito com medicações usadas contra a H1N1 e demais síndromes gripais e respiratórias, como antitérmicos e antigripais.

Transporte

A Prefeitura de Florianópolis informou que haverá transporte municipal nesta quarta-feira e que vai anunciar novas medidas em relação a isso no decorrer do dia.

Decreto de emergência

As novas regras no estado passam a valer a partir da publicação do decreto, o que deve ocorrer nesta quarta-feira (18). O texto determina o fechamento por sete dias de atividades não essenciais, como academias e comércio em geral, e proíbe a entrada de novos hóspedes no setor hoteleiro pelo mesmo prazo. Os serviços considerados essenciais, como os funerários, de saúde, farmácias, mercados e supermercados, postos de combustíveis e distribuição de gás e água, serão mantidos.

Na coletiva, o governador Carlos Moisés (PSL) disse que, ao se acompanhar o desenvolvimento da transmissão da doença em outros países, é possível perceber que depois do contágio comunitário os casos se multiplicam rapidamente.

"Há uma métrica que se calcula a projeção de casos. E se não houver uma intervenção restritiva, nós podemos ter, em poucos dias, 2 mil casos no território catarinense. Dois mil casos, e com 10% disso demandando terapia intensiva, respiração artificial, atendimento especializado, o que inviabilizaria o sistema público de saúde", disse Moisés.

O secretário de estado da Saúde disse que o momento é de restrição para frear o contágio da Covid-19, que a transmissão da doença é silenciosa e que o vírus pode estar em qualquer região catarinense , mesmo onde ainda não há casos notificados.

“Agora as ações passam a ser um pouco mais restritivas. Nós passamos a ter estabelecimentos fechados, academias fechadas, passamos a ter o convívio social que é rotineiro interrompido por sete dias, que é para que tenhamos a quebra desta cadeia de transmissão e nos possibilite ter uma curva menos acentuada de casos. E isso faz com que o sistema possa se ajustar, se moldar, e fazer frente a esta patologia", disse Zeferino.

Veja abaixo as medidas restritivas do decreto:

Ficam suspensas por sete dias:

  • circulação de veículos de transporte urbano municipal, intermunicipal, interestadual de passageiros;
  • atividades e serviços privados não essenciais, como academias, shopping centers, restaurantes e comércio em geral;
  • atividades e serviços públicos não essenciais, nos âmbitos federal, municipal e estadual;
  • a entrada de novos hóspedes no setor hoteleiro, mediante regulamentação por portaria específica.

Ficam suspensos por 30 dias:

  • eventos e reuniões públicos e privados de qualquer natureza, como excursões, cursos, missas e cultos religiosos

Sul do estado

  • na região, onde foi identificada a transmissão comunitária, além de todas as restrições acima, as indústrias deverão operar com a capacidade mínima necessária.

Orientações

O governo do estado orienta que, caso a pessoa tenha sintomas de Covid-19, procure um posto de saúde e evite ir a um hospital. Nos postos de saúde, os agentes darão orientações em relação ao tratamento. Em caso de dúvidas sobre onde procurar ajuda, a recomendação é telefonar para 136, número disponibilizado pelo Ministério da Saúde.

Serão transferidos para Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) ou hospitais somente os pacientes graves. As demais pessoas com o vírus deverão ficar em isolamento e monitoramento em casa, isso inclui casos de dor de garganta e febre baixa.

Prevenção

  • idosos e pessoas com doenças crônicas devem evitar ir a eventos com aglomeração;
  • as pessoas, sejam familiares ou vizinhos, podem ser voluntárias para comprar mantimentos, buscar remédios e outros itens que os idosos precisarem em casa;
  • evitar viajar se estiver com febre ou tosse;
  • evitar contato com pessoas visivelmente doenças, principalmente com sintomas respiratórios, como tosse ou coriza;
  • higienizar as mãos frequentemente, com água e sabão ou álcool em gel;
  • evitar tocar olhos, nariz e boca;
  • ao tossir e espirrar, cobrir a boca com lenço descartável ou antebraço. Jogar o lenço fora imediatamente;
  • se ficar doente durante uma viagem, procurar imediatamente a tripulação ou equipe médica de bordo;
  • em viagem, evitar comer alimentos de origem duvidosa ou preparados de forma inadequadamente;
  • evitar contato com animais silvestres ou animais doentes;
  • evitar que crianças e adolescentes com menos de 14 anos mantenham contato prolongado com pessoas de mais de 65 anos;
  • evitar circular por locais com grande aglomeração de pessoas, inclusive praias, lagos e lagoas.

Leia o Decreto na íntegra: https://bit.ly/33wtxYr

Fonte: G1

  • Gostou do conteúdo? Indique a um amigo!




  • A-
  • A+
Enquete

Descreva como é a gestão no seu condomínio

Auto Gestão (Não tem auxilio de administradora/contabilidade) - 16.1%
Auto Gestão Assistida (Contrata serviços terceirizados de contabilidade) - 17%
Gestão com empresa administradora - 32.1%
Síndico Profissional (com administradora) - 27.7%
Síndico Profissional (sem administradora) - 5.4%
SELECT i.*, CASE WHEN i.modified = 0 THEN i.created ELSE i.modified END as lastChanged, c.name AS categoryname,c.id AS categoryid, c.alias AS categoryalias, c.params AS categoryparams, u.userName AS nomeColunista , u.image AS imgColunista , u.userID AS idColunista FROM #__k2_items as i RIGHT JOIN #__k2_categories c ON c.id = i.catid LEFT JOIN #__k2_users u ON u.userID = i.created_by WHERE i.published = 1 AND i.access IN(1,1,5) AND i.trash = 0 AND c.published = 1 AND c.trash = 0 AND ( i.publish_up = '0000-00-00 00:00:00' OR i.publish_up <= '2020-04-06 12:18:36' ) AND ( i.publish_down = '0000-00-00 00:00:00' OR i.publish_down >= '2020-04-06 12:18:36' ) AND i.catid=17 AND i.catid IN(17) OR i.id IN (SELECT itemID FROM #__k2_additional_categories WHERE catid IN(17 ) )  ORDER BY i.id DESC LIMIT 0 , 1
Acesse sua Administradora