Um vizinho surta toda manhã e estamos com medo. O síndico nada faz. O que os moradores podem fazer?

Enviado por : Leandro Karvalho, Balneário Camboriú

Pergunta: Sou morador de um condomínio em Balneário Camboriú e tenho um vizinho que surta todas as manhãs, anda no condomínio e parece que vai avançar em alguém. Todos estão com medo e já reclamamos com o síndico. Nada foi feito. O que nós moradores, podemos fazer?

Resposta: Diante do relato do leitor, mesmo sem maiores detalhes, verificamos duas situações distintas: o comportamento antissocial do seu vizinho e a omissão do síndico.

Independentemente do estado de saúde desse morador, bem como pela ausência de informações de que o referido condômino tenha provocado alguma agressão física ou verbal contundente, é possível conceituar seu comportamento como antissocial, visto que causa distúrbios ao bem-estar coletivo, mormente pelo fato dos moradores se sentirem ameaçados.

Realmente, ninguém merece circular pelas áreas comuns de um condomínio com temor de vir a sofrer eventual agressão ou ameaça. Neste aspecto, o Código Civil preceitua no inciso IV do art. 1.336 que um dos deveres do condômino é “dar às suas partes a mesma destinação que tem a edificação, e não as utilizar de maneira prejudicial ao SOSSEGO, salubridade e SEGURANÇA dos possuidores, ou aos bons costumes.”

De qualquer forma, o mesmo Código Civil possui regras específicas para coibir a conduta do condômino antissocial, mormente no art. 1.337 e seu parágrafo único, aos quais estipulam multas vultosas ao infrator. Um dos dispositivos legais mencionados preceitua: “o condômino ou possuidor que, por seu reiterado comportamento antissocial, gerar incompatibilidade de convivência com os demais condôminos ou possuidores, poderá ser constrangido a pagar multa correspondente ao décuplo do valor atribuído à contribuição para as despesas condominiais, até ulterior deliberação da assembleia”. (Parágrafo único do art. 1337).

Mas, sem prejuízo a atuação individual de cada ofendido perante os órgãos de segurança pública e Judiciário contra o ofensor, a informada omissão do síndico pode ser superada se os condôminos convocarem uma assembleia geral, desde que reúnam a assinatura de ¼ (um quarto) de condôminos, conforme facultado pelo §1º do art. 1.350 do Código Civil (§ 1º Se o síndico não convocar a assembleia, um quarto dos condôminos poderá fazê-lo), para deliberar e provocar a atuação da administração do condomínio no sentido de executar procedimentos para cessar as graves perturbações relatadas.

RMP Advocacia
Rogério Manoel Pedro
OAB/SC 10745
(48) 99654 0440

  • Gostou do conteúdo? Indique a um amigo!
SELECT i.*, CASE WHEN i.modified = 0 THEN i.created ELSE i.modified END as lastChanged, c.name AS categoryname,c.id AS categoryid, c.alias AS categoryalias, c.params AS categoryparams, u.userName AS nomeColunista , u.image AS imgColunista , u.userID AS idColunista FROM #__k2_items as i RIGHT JOIN #__k2_categories c ON c.id = i.catid LEFT JOIN #__k2_users u ON u.userID = i.created_by WHERE i.published = 1 AND i.access IN(1,1,5) AND i.trash = 0 AND c.published = 1 AND c.trash = 0 AND ( i.publish_up = '0000-00-00 00:00:00' OR i.publish_up <= '2022-08-18 16:16:15' ) AND ( i.publish_down = '0000-00-00 00:00:00' OR i.publish_down >= '2022-08-18 16:16:15' ) AND i.catid=17 AND i.catid IN(17) OR i.id IN (SELECT itemID FROM #__k2_additional_categories WHERE catid IN(17 ) )  ORDER BY i.id DESC LIMIT 0 , 1
Envie uma pergunta
Contato

Campos Obrigatórios *

Acesse sua Administradora