O que fazer quando o morador estaciona em local proibido ou ocupando duas vagas e se recusa a arrumar?

Enviado por : Alexandra Silva, Florianópolis

Pergunta: Gostaria de informações sobre a legislação acerca de condômino que estaciona carros além das vagas que tem direito, inclusive em locais proibidos que obstruem a passagem e a saída de emergência. O que fazer quando é constante essa infração e o mesmo se recusa a remover os veículos?

Resposta: A utilização das vagas de garagem gera constantes conflitos entre os moradores, mormente naqueles casos onde se estaciona mais de um veículo por vaga ou quando o veículo tem um porte que excede os limites especificados. Segundo o art. 1335, inciso II do Código Civil, é direito do condômino “usar das partes comuns, conforme a sua destinação, e contanto que não exclua a utilização dos demais compossuidores”.

Podemos citar também o parágrafo único do art. 1.314 do Código Civil, que preceitua que “nenhum dos condôminos pode alterar a destinação da coisa comum, nem dar posse, uso ou gozo dela a estranhos, sem o consenso dos outros.” No caso em apreço verifica-se que o morador está abusando do direito de uso das partes comuns e prejudicando a utilização dos demais vizinhos. Além disso, reputo temerário o comportamento de obstruir a passagem dos condôminos, mormente a circulação de emergência, visto que gera riscos à segurança dos moradores, revelando-se, ainda, contrária às regras de boa convivência em prol da coletividade, as quais todos aqueles que moram em condomínio são obrigados a observar.

Além disso, cada condômino tem o direito ao uso das suas partes exclusivas conforme indicado nas matrículas dos seus imóveis (apartamento e garagem), não podendo utilizar vagas de terceiros, mesmo que desocupadas, sem prévio ajuste com os respectivos proprietários.

Portanto, deve-se consultar a Convenção e o Regimento Interno para extrair as regras que disciplinam a utilização das vagas de garagem e impõem penalizações (advertência e multa) aos transgressores, ou, caso não haja previsão específica, o condomínio pode discutir a situação em assembleia condominial através de item específico, que poderá aplicar multa ao transgressor de acordo com o art. 1.337 do Código Civil que pode chegar a cinco vezes a taxa condominial da unidade.

Caso as medidas administrativas (advertência e multa) não logrem efeito, será possível recorrer ao Poder Judiciário para compelir o condômino a deixar de utilizar as áreas comuns por prejudicarem a utilização, circulação e acesso dos demais condôminos.  

Pedro & Reblin Advogados Associados
Rogério Manoel Pedro
OAB/SC 10745
(48) 3223 6263

  • Gostou do conteúdo? Indique a um amigo!
SELECT i.*, CASE WHEN i.modified = 0 THEN i.created ELSE i.modified END as lastChanged, c.name AS categoryname,c.id AS categoryid, c.alias AS categoryalias, c.params AS categoryparams, u.userName AS nomeColunista , u.image AS imgColunista , u.userID AS idColunista FROM #__k2_items as i RIGHT JOIN #__k2_categories c ON c.id = i.catid LEFT JOIN #__k2_users u ON u.userID = i.created_by WHERE i.published = 1 AND i.access IN(1,1,5) AND i.trash = 0 AND c.published = 1 AND c.trash = 0 AND ( i.publish_up = '0000-00-00 00:00:00' OR i.publish_up <= '2021-03-08 09:15:03' ) AND ( i.publish_down = '0000-00-00 00:00:00' OR i.publish_down >= '2021-03-08 09:15:03' ) AND i.catid=17 AND i.catid IN(17) OR i.id IN (SELECT itemID FROM #__k2_additional_categories WHERE catid IN(17 ) )  ORDER BY i.id DESC LIMIT 0 , 1
Envie uma pergunta
Contato

Campos Obrigatórios *

Acesse sua Administradora