Segurança em dobro contra incêndios

  • 13/Setembro/2018 - Graziella Itamaro




  • A-
  • A+
Segurança em dobro contra incêndios


Com alta densidade demográfica, Balneário Camboriú tem a responsabilidade ampliada no cuidado com os sistemas de prevenção de incêndio

Com uma área geográfica de apenas 46,8 quilômetros quadrados, Balneário Camboriú é uma das cidades mais verticalizadas do Brasil e tem alguns edifícios na lista dos mais altos do país.

A cidade, além de ter a densidade demográfica mais alta do Estado, com 2.337 habitantes por km², recebe turistas o ano todo que lotam as praias e os edifícios.

Mas apesar dos atrativos, números tão altos também aumentam a responsabilidade e a necessidade de atenção com relação à segurança contra incêndios, principalmente para síndicos e gestores do setor condominial.

Chefe da Seção de Atividades Técnicas, do Corpo de Bombeiros, o tenente Thiago Eloi Santos Sarraff ressalta que, além do aspecto legal, se deve pensar que adequar as edificações às normas de segurança contra incêndios é trazer mais segurança para todos os condôminos da edificação. “É comum ver condomínios investirem em segurança patrimonial, mas a segurança contra incêndio deve ser pensada de igual forma, já que evita grandes tragédias, como a ocorrida recentemente na cidade de Londres”, lembra o tenente.

De acordo com o tenente, as edificações verticalizadas possuem paredes que resistem ao fogo por no mínimo duas horas, além de outros requisitos. Além disso, quanto maior é a altura ou a área de um edifício, maiores serão as exigências em relação aos sistemas preventivos. “A partir de quatro pavimentos já é necessário instalar sistema hidráulico preventivo e a partir de 20 metros de altura é exigido o sistema de alarme, de proteção contra descargas atmosféricas e o dispositivo para ancoragem de cabos.

Quando a edificação possuir 60 metros ou mais já será exigida a existência de elevador de emergência. Já o sistema de chuveiros automáticos (sprinklers) é exigido para edificações residenciais privativas a partir dos 150 metros”, relaciona o especialista.

Balneario Post
Os edifícios devem passar por vistoria do Corpo de Bombeiros e estar em dia com as normas de segurança contra incêndios

Dificuldades

Com experiência de 44 anos na área de prevenção e combate a incêndios, o bombeiro civil e comunitário, Luiz Carlos Gomes, observa na experiência diária de vistorias e serviços técnicos que a maioria dos gestores não tem dado a devida atenção ao risco que correm pela falta de manutenção, pois as grandes estruturas dos edifícios exigem um zelo muito maior.

Para Luiz Carlos, a maior dificuldade que os síndicos apresentam para cumprir o que é exigido pelo Corpo de Bombeiros é de ordem financeira, pois grande parte esbarra na falta de orçamento para manutenção ou execução dos sistemas preventivos. “O idealé que o assunto seja debatido em assembleias, e que a manutenção seja realizada sempre preventivamente”, destaca.

Segundo o tenente Thiago, para a corporação também existe dificuldade em atender ademanda. “Ainda temos pouca sensibilização por parte dos responsáveis pelos imóveis. A maior parte dos edifícios realiza a manutenção apenas quando o bombeiro vai até o local e constata a irregularidade”, relata.

Vistoria

Segundo o tenente, a vistoria de funcionamento deve ser solicitada ao Corpo de Bombeiros Militar anualmente, a partir da data de emissão do primeiro atestado. Para solicitar a renovação, basta acessar o site do Corpo de Bombeiros.

Para adequar a edificação, o primeiro passo é saber em qual etapa ela se encontra, pois existem casos de edificações que possuem o atestado de habite-se emitido há muitos anos. “Desde que não tenham sido realizadas significativas alterações de layout, ampliação ou mudança de ocupação, basta a renovação do atestado de funcionamento anual. Para os que não possuem atestado de habite-se, a orientação é procurar o quartel de bombeiros mais próximo e verificar a situação atual da edificação”, explica.

 

Matéria publicada em 11 de julho de 2017 e atualizada em 13/09/2018. 

SERVIÇOS:

• Incêndio - prevenção, equipamentos, projetos e instalações

 Clique e confira empresas especializadas em Laudos, Vistorias, Inspeções e Perícias

• Clique aqui e confira empresas especializadas em Administração de Condomínios

 

  • Gostou do conteúdo? Indique a um amigo!




  • A-
  • A+
Enquete

Nos 17 anos do Jornal dos Condomínios, gostaríamos de saber: quem é você, usuário do portal?

Sou síndíco morador - 28%
Sou síndico profissional - 10.6%
Trabalho em empresa administradora de condomínios - 9.9%
Trabalho em um escritório de contabilidade - 4.6%
Pretendo ser síndico profissional - 11%
Não tenho ligação, mas sou morador e quero ter uma participação mais ativa no condomínio - 17.7%
Outros profissionais do setor - 17%

Total votos: 282
A votação para esta enquete foi encerrada em: Setembro 18, 2018
SELECT i.*, CASE WHEN i.modified = 0 THEN i.created ELSE i.modified END as lastChanged, c.name AS categoryname,c.id AS categoryid, c.alias AS categoryalias, c.params AS categoryparams, u.userName AS nomeColunista , u.image AS imgColunista , u.userID AS idColunista FROM #__k2_items as i RIGHT JOIN #__k2_categories c ON c.id = i.catid LEFT JOIN #__k2_users u ON u.userID = i.created_by WHERE i.published = 1 AND i.access IN(1,1,5) AND i.trash = 0 AND c.published = 1 AND c.trash = 0 AND ( i.publish_up = '0000-00-00 00:00:00' OR i.publish_up <= '2018-09-19 04:54:59' ) AND ( i.publish_down = '0000-00-00 00:00:00' OR i.publish_down >= '2018-09-19 04:54:59' ) AND i.catid=17 AND i.catid IN(17) OR i.id IN (SELECT itemID FROM #__k2_additional_categories WHERE catid IN(17 ) )  ORDER BY i.id DESC LIMIT 0 , 1
Acesse sua Administradora