Um condomínio, dois síndicos: responsabilidade compartilhada

Os síndicos do condomínio Plaza Mediterrâneo demonstram que dividir as responsabilidades dá certo
O funcionário público Sidnei Luiz Lisboa e a administradora Vanessa Mattos Tezza  dividem a gestão do condomínio O funcionário público Sidnei Luiz Lisboa e a administradora Vanessa Mattos Tezza dividem a gestão do condomínio

Ter uma carreira, morada e família para cuidar tomam tanto tempo das pessoas no mundo contemporâneo que poucas se disponibilizam a gerenciar um condomínio, atividade que cada vez mais requer conhecimento, responsabilidade e boa dose de altruísmo. Quando o prédio é novo e com uma área comum repleta de itens de lazer, fica mais complexo administrar. No Plaza Mediterrâneo, no bairro Itacorubi, em Florianópolis, a saída para não sobrecarregar apenas uma pessoa na administração do condomínio de duas torres e 200 apartamentos foi eleger dois síndicos.


No segundo ano de gestão, o funcionário público Sidnei Luiz Lisboa e a administradora Vanessa Mattos Tezza demonstram que dividir as responsabilidades dá certo. O segredo é dividir as tarefas de acordo com as vocações de cada um, ter transparência e muita comunicação. Os dois são síndicos de primeira viagem e Sidnei nunca tinha morado antes em condomínio. Cada um tem apartamento em uma torre, mas Vanessa ainda não se mudou. “Nossas habilidades foram aparecendo e cada um foi se encaixando em uma posição”, conta Vanessa.

Atribuições
Como Vanessa é formada em administração, ela trabalha mais com a parte de escritório: contratos e fornecedores, movimentação financeira, fechamento de malote e relatório de contabilidade. Sidnei tem formação como técnico de contabilidade e lida em seu trabalho diariamente com contratos, mas dentro do condomínio o que ele gosta mesmo é de colocar a mão na massa. Orienta os zeladores, confere o trabalho de fornecedores, acompanha as manutenções e presta assistência aos moradores. “Gosto da prática. Quando vem alguém fazer orçamento, ou fazer serviços técnicos, eu que atendo. Às vezes, o morador liga e diz que não passa o gás quando vai usar pela primeira vez, então explico que tem de esperar um tempinho para sair do cano porque é novo ”, relata Sidnei.


Cada um faz uma parte, mas o diálogo sempre está presente: “Falamos um para o outro o que estamos fazendo. E os condôminos nos testam para ver se os dois sabem o que está acontecendo no condomínio, se estamos sincronizados. Por isso, a comunicação é fundamental. Usamos um só e-mail e concentramos as informações na sala de Administração do condomínio”, observa Vanessa.

Os dois aprendem juntos as peculiaridades de administrar um condomínio: a questão da responsabilidade compartilhada na hora de uma contratação terceirizada – caso a empresa não cumpra com suas obrigações com os funcionários -, o aprimoramento em mediar conflitos de moradores, e o poder de barganha nas negociações com fornecedores. Eles se reúnem pelo menos duas manhãs por semana para fazerem reuniões na administração do prédio, e receberem fornecedores e condôminos.

Responsabilidade compartilhada
Para Vanessa, seria difícil uma pessoa que tem outros ofícios, trabalhar sozinha como síndica de um condomínio como o Plaza Mediterrâneo, com piscina externa, playground, ateliê, sauna, academia, entre outros espaços e equipamentos. Dividindo as tarefas, fica mais fácil. No caso de uma viagem de férias ou um passeio de fim de semana, sempre tem alguém que responde pelo condomínio. Eles dividem a remuneração e as responsabilidades. Para eles, é melhor do que ter um subsíndico para auxílio casual.


Na maioria das vezes, como diz Sidnei, “o síndico é uma pessoa sozinha carregando uma, duas ou mais torres”. Mas, quando se trabalha em dupla, segundo Sidnei e Vanessa, o benefício é ter alguém para dialogar nas tomadas de decisões e até desabafar quando algo não ocorre como o planejado ou há conflitos com condôminos. “E se por algum motivo um dos síndicos estiver impossibilitado de trabalhar não haverá prejuízo para o condomínio já que os dois síndicos conhecem a rotina de trabalho e estão aptos para atender a demanda”, observa Vanessa.

 

  • Gostou do conteúdo? Indique a um amigo!




  • A-
  • A+
Enquete

Descreva como é a gestão no seu condomínio

Auto Gestão (Não tem auxilio de administradora/contabilidade) - 16.1%
Auto Gestão Assistida (Contrata serviços terceirizados de contabilidade) - 17%
Gestão com empresa administradora - 32.1%
Síndico Profissional (com administradora) - 27.7%
Síndico Profissional (sem administradora) - 5.4%
SELECT i.*, CASE WHEN i.modified = 0 THEN i.created ELSE i.modified END as lastChanged, c.name AS categoryname,c.id AS categoryid, c.alias AS categoryalias, c.params AS categoryparams, u.userName AS nomeColunista , u.image AS imgColunista , u.userID AS idColunista FROM #__k2_items as i RIGHT JOIN #__k2_categories c ON c.id = i.catid LEFT JOIN #__k2_users u ON u.userID = i.created_by WHERE i.published = 1 AND i.access IN(1,1,5) AND i.trash = 0 AND c.published = 1 AND c.trash = 0 AND ( i.publish_up = '0000-00-00 00:00:00' OR i.publish_up <= '2019-05-19 08:29:30' ) AND ( i.publish_down = '0000-00-00 00:00:00' OR i.publish_down >= '2019-05-19 08:29:30' ) AND i.catid=17 AND i.catid IN(17) OR i.id IN (SELECT itemID FROM #__k2_additional_categories WHERE catid IN(17 ) )  ORDER BY i.id DESC LIMIT 0 , 1
Acesse sua Administradora